quarta-feira, 23 de julho de 2014

Muitos filhos ou nenhum?

Desculpem lá voltar ao mesmo, mas se primeiro chamavam às famílias com muitos filhos de corajosas agora chamam-nas de sortudas e não são uma coisa nem outra, são apenas famílias.

Eu já tinha aqui falado da reportagem do Observador e repito que a tal da coragem que se fala é muito bonita, mas que é confundida com um projecto de vida. Eu tenho três filhos que amo muito, mas o amor não enche barriga. Aceitamos roupa que nos dão e emprestam e reciclamos de uns para outros. Temos uma avó que nos vai safando algumas situações a quem agora pagamos para tomar cuidado do mais novo. Sou uma sortuda ou uma corajosa?
A crise da natalidade existe, o problema da renovação de gerações é real. Mas tal como referi no post que escrevi, as medidas que se possam tomar a bem das famílias, de todas as famílias são bem vindas. Agora se estou à espera delas para cuidar da minha? NÃO.
Depois li esta reportagem e a jornalista disse algo com o qual concordo:
Há quem queira ter muitos filhos e não possa por variadíssimas razões e há mesmo quem não queira encher a casa de crianças e não é por isso menos corajoso que um pai de meia dúzia.
Hoje em dia é preciso ter coragem para ter um filho ou uma centena deles. Tal como antigamente. Tal como sempre foi. É para mim acto de amor, de coragem sim, mas não a coragem de criar vários, mas a coragem de assumir as responsabilidades inerentes, mas por vezes por muita coragem que se tenha não é possível, não se consegue. E também não é uma questão de sorte: sorte é ganhar no euromilhões, é ter uma rifa premiada.
As famílias têm várias moradas, vários formatos e deixem-se de coisas, não sabemos o que vai dentro do 3º esq ou do 5ºdt para decidirmos que são corajosos ou egoistas.

Post editado

6 comentários:

Sentada na ponta da lua disse...

Gostei de ler! O meu cantito tem andado sossegado, primeiro o curso e agora outros assuntos... sobre os quais dentro de pouco tempo darei notícias!
Bjinhos e tudo de bom!

Maggie F. disse...

pois Nany concordo com tudo o que disseste, não tenho nada a acrescentar!

Bjos

Maggie

Lassalete Cunha disse...

Concordo completamente! Eu tenho duas filhas e gostava de ter tido mais se tivesse sido possível no nosso contexto da vida, mas não foi. A coragem não me faltou até porque as minhas miúdas sempre usaram roupas usadas, e nunca tiveram tudo o que queriam, bem longe disso. Encontrei foi umas rochas no caminho, na altura de poder aumentar a família e depois passou a hora, passou a idade. Quem pode optar por uma família numerosa não é por contar com o ovo nu c. da galinha, é sim por ter uma vontade, associada a todo um contexto da vida.
Beijinhos

Fashionista disse...

adorei o texto!

Gata disse...

Pois, isso da sorte e da coragem tem muito que se lhe diga. Eu não tenho filhos e acho que, acima de tudo, é preciso responsabilidade!
Parabéns pela família :)

Paula disse...

Tens toda a razão!
Tenho 3 filhos e já ouvi muito o adjectivo corajosa. Na gravidez do 3º, com um bebé de colo e outra pela mão tive olhares de pena. Não mereço a pena nem ser chamada de corajosa. Tenho filhos porque quis, porque fazem parte do meu projecto de vida.
A minha familia é como qualquer outra!
Bjs,
Paula
vidademulheraos40.blogspot.com.

 

Template by Suck my Lolly