sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Leituras 2017 #15

Imagens Google
Resumo:
"Quando Beaufort Swan se muda para a melancólica cidade de Forks e conhece a misteriosa e atraente Edythe Cullen, sua vida dá uma guinada emocionante e apavorante. Com a pele de porcelana, os olhos dourados, uma voz hipnótica e dons sobrenaturais, Edythe é ao mesmo tempo enigmática e irresistível. O que Beau não percebe é que, quanto mais se aproxima dela, maior o perigo para ele e para os que o cercam. E pode ser tarde demais para voltar atrás..."

 O que posso dizer? Li a saga e vi os filmes e gostei. Aliás gosto deste tipo de histórias.
Neste livro a história é inversa, mas o resto é igual.
Para os fãs é um livro a ler.

sábado, 12 de agosto de 2017

Leituras 2017 #14

Imagens Google
Resumo:
"O inigualável mestre do horror e do suspense retorna com um livro poderoso e aterrorizante que redefine o gênero de maneira única e inesperada
Em 1966, um carismático e astuto guru, de passagem por um campus universitário do Meio-Oeste norte-americano, reúne um restrito grupo de discípulos, entre estudantes de colegial e universitário de fraternidade, num ritual secreto que resulta em um corpo horrivelmente dilacerado, um garoto desaparecido e as almas abaladas de todos os envolvidos. Quarenta anos depois, um escritor de relativo sucesso e amigo de infância da maioria dos garotos que participaram do ritual – além de marido de uma das garotas envolvidas –, sai em busca de informações sobre essa noite aterrorizante, com um projeto de livro em mente. Porém, para consegui-las, precisará não apenas reencontrar antigos colegas com quem perdeu o contato há décadas, mas também incitá-los a reexaminarem os eventos inomináveis que os têm assombrado desde então. Ao revelar as histórias individuais dos membros do grupo, Um Passado Sombrio eletrifica o leitor de maneira arrepiante e imprevisível – e prova que Peter Straub é, indiscutivelmente, um mestre do horror moderno."

Uma história sobre um grupo de amigos, que  se deixa influenciar por um guru, vista pelo único elemento do grupo- Lee Harwell, que não sendo aceite no núcleo do guru, não consegue perceber, nem obter facilmente respostas sobre o grande acontecimento que assombra os seus amigos.
Não é uma leitura fácil, e tive muitas vezes a sensação de não entender nada, de me perder.
Um passado vivido por todos, mas do qual cada um tirou uma lição diferente consoante a sua visão do ritual. E no livro vão encontrar outro Lee, Lee Truax, que não é mais que a antiga namorada e actual mulher de Lee Harwell.
Leiam e digam de vossa justiça.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Leituras 2017 #13

Google Imagens
Resumo:
"Quando sua mãe, Trudie, morre vítima da Doença de Huntington – mal que atinge o sistema nervoso –, Rosie sofre não apenas pela perda, mas também pela sombra que paira sobre seu futuro: o alto risco de também ser portadora da doença. Determinada a saber o que está à sua espera, Rosie conta para “Tia Sarah”, a melhor amiga de sua mãe, que pretende fazer o exame que revelará se tem ou não a doença. Apavorada com as outras verdades que o exame pode revelar, Sarah decide abrir o jogo e conta algo que desestrutura ainda mais a vida de Rosie: Trudie não era sua verdadeira mãe. Rosie fora trocada na maternidade logo após seu nascimento, pois o bebê de Trudie tinha pouquíssimas chances de sobreviver. Devastada pela notícia, Rosie decide procurar sua mãe biológica e, junto com o namorado, deixa a Inglaterra para trás e parte para os Estados Unidos, onde acredita que se reunirá à sua família. O que a garota não pode prever é que a revelação deste segredo irá mexer com a vida de pessoas que ela nem mesmo imagina que existem..."

Este é um daqueles livros que nos faz sentir que reclamamos de nada. Que tantas vidas aparentemente perfeitas, não são mais do que aparências. A saúde, o carinho, o amor da família são tudo.
Não é um livro de auto-reflexão, mas como sendo ficção, fala de tantas vidas verdadeiras dá que pensar.
Será que vale a pena mexer no passado? Será que existem mentiras piedosas?
O livro está dividido em duas partes, com um fio condutor na personagem de Rosie.
O resumo diz tudo. Leiam, vale mesmo a pena, mas preparam-se tanto podem achar que Rosie é uma chata, sempre a ter pena de ela própria, como podem ter pena dela vocês mesmos.
E a doença de Huntington, tratada aqui de uma forma humana, séria e informativa, não é um bicho papão. A autora fala da mesma de forma séria, embora seja uma espada que paira na cabeça de muitos. Fiquei a saber um pouco mais acerca da mesma.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

segunda-feira, 24 de julho de 2017

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Leituras 2017 #12

Imagens google
Resumo:
"O renascer da alma.
Passaram-se quatro anos desde que o médico Ben Richardson perdera sua esposa grávida. Mas ele ainda não conseguira superar a dor. A fim de buscar um recomeço, aceitou trabalhar na emergência. Um dia, durante uma caminhada pela praia, ficou estarrecido ao ver uma bela grávida. Logo descobre que ela se chama Celeste, e que é enfermeira no hospital onde Ben trabalha. Ficar perto dela era uma constante lembrança de todo o sofrimento que passara. Por isso, decidiu manter-se distante. Entretanto, Celeste enfrentava sozinha uma gravidez de risco, e Ben sabia que precisava ajudá-la. Presenciar o milagre do nascimento da filhinha de Celeste o faz perceber que ele ainda pode ser feliz… se estiver preparado para entregar o seu coração."


É uma daquelas histórias em que à partida já sabemos que vai acabar bem, que tudo se irá resolver, que os protagonistas vão viver felizes para sempre.
É uma história leve, alegre, de final feliz que se lê rapidamente.

domingo, 16 de julho de 2017

Ser mãe de 3 #34

Também passar o jogo ao filho mais velho para ele passar aquele nível chato, ou escolher o jogo da filha,   especialmente aquele que está empancado num nível, ou deixar o mais novo jogar algo simples e constatar que:
-o mais velho (10 anos) passa à primeira e não entende porque a mãe não conseguíu
-a filha (6 anos) "desempanca" a coisa e bate records
-o mais novo (3 anos) percebe mais daquilo que a mãe
(os 40 anos da mãe não são para aqui chamados)

sexta-feira, 14 de julho de 2017

terça-feira, 11 de julho de 2017

Ser mãe de 3 # 33

As crianças precisam de educação, mas também de mimo.
As crianças precisam de ser ensinadas a andar, a falar, a comer com faca e garfo, a pedir licença para levantar. Mas também precisam de saber que há momentos em que se pode comer com as mãos, falar à bebé, andar ao colo.
As crianças precisam de saber que o "bom dia" e restantes cumprimentos são tão normais como respirar, mesmo quando as outras pessoas passem a vida a suster a respiração. Mas também têm de sentir que as pessoas as vão comprimentar porque querem estar com elas, que se dirijam a elas primeiro.
As crianças fazem birra, mas essas controlamos mais ou meos facilment, mas quando são elas o alvo da birra dos adultos. Do quererem parecer mais e melhor aos olhos de outros e elas é que sofrem.
Não é por ser mãer de 3 que me habituo ou compactuo com isso. É por ser mãe de 3 seres humanos pequenos, futuros adultos que não assino por baixo, não aceito e não tolero. Doa a quem doer.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

sábado, 8 de julho de 2017

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Perguntinha óbvia # 16

Será que tentar abrir as porta da entrada do prédio, quando se está dentro do mesmo, com o comando do carro é sinal de muito sono matinal?
E pensar que o carro não abre porque o comando está avariado, ou porque o fecho não funciona, nem mesmo com a chave de segurança, para afinal perceber que se está a tentar abrir um carro que, apesar de ser igualzinho ao nosso, não é o nosso, é sinal de cansaço?

Esclareço já que não foram no mesmo dia que estas situações me aconteceram, mas quase ☺
 

Template by Suck my Lolly