sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Nem sei que nome dar a isto

Estou aqui a trabalhar e como tenho um ratito no estômago abri a gaveta e saquei da maçã que trouxe para o lanche da manhã. Entretanto, aproveitar para fazer uma pausa, lavar as vistas e ver blogs. Apanhei não um murro no estômago, mas um encontrão.
Refilo que estou gorda, que tenho de perder uns 15kgs, que tenho de comer menos e melhor, que nem sei como vou dar volta a isto, que se não for desta desisto de vez, etc e tal e depois...bem depois veio o encontrão.
Idosos na rua a pedir para comer. Idosos em casa à espera da srª que lá vai levar o almoço e dar dois dedos de conversa. Crianças famintas, que tantas vezes vão para a cama com a barriga a roncar.
Não estou a dizer que o que eu como lhes falta a eles, mas lembrei-me de algo que ainda não fui capaz de por em palavras: quando cheguei a casa um dia destes estavam pessoas sentadas, com carrinhos de compras e sacos à espera que o banco de alimentos do centro social da minha área abrisse portas.
Posso não parar de refilar, pois conheço-me e sei que vou continuar. Posso continuar a tentar deitar abaixo os 15kgs a mais, mas desde sempre, desde há muito tempo que me dizem "não estragues a comida que muitos meninos passam fome". E assim é.
O que vou mudar? Não sei, sei é que só faço comer para aquela refeição e para o almoço do dia seguinte. Sempre fiz. Sou daquelas pessoas que não repara no que as pessoas comem ou bebem, reparo no que deitam fora, no terem mais olhos que barriga.
Mas custa saber que tantos pedem para comer. Como diz esta mãe ninguém devia ter de pedir para comer!

1 comentários:

Mamã de Salto Alto disse...

É uma tristeza não é?Comida é um bem essençial,ou deveria ser.Sabes,fiquei mesmo triste naquele dia...bjs

 

Template by Suck my Lolly