quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Ser mãe de 3 #22

Implica uma grande gestão: de tempo, de colos, de divisão, de arrumações numa casa pequena, de compras, de alimentação.
Mas ser mãe de 1 também implica.
Esta coisa de quem tem um filho achar que quem tem mais do que isso - e por mais que isso, leiam mais de 2 - ou é doida, ou tem ajudas, ou vive por conta do estado, dos pais, do marido e encostada à empregada doméstica, faz o meu nariz comichar.
Cada família é única, porque muitas famílias têm apenas um filho e não têm tempo para nada, porque têm uma vida assim. Outras têm uma centena e têm tempo para tudo porque têm uma vida assado.
E sim, tenho alturas, já me queixei aqui várias vezes, que ando a apanhar bonés e a correr contra o tempo.
Tenho outras que sou uma pró: em todos os dias em que tudo fica feito de véspera - seja a roupa deles escolhida desde a cueca ao casaco, seja o lanche semi-pronto. Tenho outras que chego a casa e nada tenho descongelado para o jantar, nem sequer comida já feita e congelada e compro uma sopa.
Acho que sou normal na minha loucura. O que me custa e mói é quando tenho de estar em dois lados ao mesmo tempo, ou quando não posso.
Não é por ter três filhos, nenhuma empregada doméstica e 4 dias na semana com horários contados ao segundo que sou a maior.
Não é por ter três filhos que tenho benesses, ajudas estatais (nem abono temos) e leis feitas só para mim.
Sou uma mãe como qualquer outra.

2 comentários:

A Pimenta* disse...

Ser mãe de 3 já faz de ti uma heroína. Eu não conseguiria, confesso. Há alturas em que penso que não sei como será com uma segunda filha. Quanto mais, com três!

Timtim Tim disse...

Eu tenho duas e também sinto essa loucura, também a vivo...tem dias que tudo fica pronto a horas...tem dias em que não...mas vamos andando sempre em frente.

 

Template by Suck my Lolly